quarta-feira, 14 de maio de 2008

FAZ-SE DO TEMPO A RAZÃO DAS COISAS

A razão de viver, a razão de caminhar, a razão de comunicar, a de partir e a de chegar. Vive-se o momento como se ele nos desse a razão do futuro. A solução do incerto, a incerteza do correcto. Não temos noção do tempo a passar. Nem ele nos passa sem se fazer notar. Podíamos acordar um dia para apenas ver a luz do dia, ou apenas deixar que a luz nos ilumine o que o tempo nos reserva. Diz o ditado popular que a "curiosidade matou o gato", mas não têm o mesmo sete vidas? Será que a astucia não o deixou perceber que se já tinha desperdiçado 6, seria uma estupidez agora ser curioso?, Ou existeria uma razão para a curiosidade o atingir naquele momento? Será que então viveu sem comunicar... caminhando sem partir ou chegar!

3 comentários:

Anónimo disse...

O Dom Dinis manda dizer que a
Íris é uma gata... linda de morrer!!! :-)

Paxita

Anónimo disse...

Isis

Anónimo disse...

"Não existe o esquecimento total: as pegadas impressas na alma são indestrutíveis", é inegável que há coisas que nem o tempo apaga...

Freaky