domingo, 17 de agosto de 2008

ENCONTRAR-TE

Encontrar o que não perdi, é tão difícil como perder tudo aquilo que não encontrei. Procurar o olhar quando ele não nos olha, vermos o rosto quando ele não nos vê, tocarmos a pele quando ela não nos sente. É uma sensação fria, quase tão fria como a sensação de existir, mas não existirmos. Guardar memórias aquece, o que a sensação arrefece. A existência de uma desistência de viver, esquece a memória e a história de quem encontrou o que perdeu. Mas o sorriso da história é o reencontrar na memória, e transpor para a tela da vida toda a história vivida, transpor a perdida, e amar o que sempre viveu.

Sem comentários: