quinta-feira, 14 de agosto de 2008

MUNDO

Voltas e voltas, revoltam a volta que o Mundo dá. Gira que gira, bola que rebola. Dia que nasce noite que cai, rebola na bola em que o Mundo vai. Acorda-se de manhã rebola-se da cama, gira-se para o dia agitado que de preenchido quase se diz ocupado. Passa-se por ele à velocidade que ele passa por nós, respiramos fundo para retomar o caminho que iniciámos, e rebolamos veloz. Chegados a casa de um dia passado, comemos bocado, abraçamos o gato, olhamos o céu e vemos a Lua. Lua que gira em noite pequena abraça alma que vive serena. Fechamos os olhos dormimos profundo, rebola a bola, vivemos o Mundo.

Sem comentários: