segunda-feira, 18 de agosto de 2008

PÔR-DO-SOL

Sentado sobre a areia, cruzo minhas pernas e olho para o céu. Saboreio o pôr-de-sol que ele tem para me dar. Um fim do dia, embalado pelo som das ondas a deitarem-se sobre a areia molhada que as acolhe. Algumas gaivotas começam a tomar a praia como delas, pois a noite aí vem e as pessoas já escasseiam sobre o enorme areal. Ao fundo o laranja do Sol espelha-se sobre o imenso mar, como se o céu se ligasse com a terra. Divino o ambiente que me é oferecido, a calma e a paisagem em uníssono, criam como que das mais belas melodias. Como que me faz recordar o meu filme preferido, "A Cidade dos Anjos" onde todos se alinham num final de dia para ouvir o som do dia a pôr-se sobre o mar imenso. Tenho vontade de mergulhar como no final desse mesmo filme para me sentir vivo. Mas vivo já me sinto eu, e a água mostra-me um frio sorriso. Talvez também eu aqui esteja rodeado de anjos que vieram ouvir esta bela melodia que a conjugação do céu, terra e mar tem para nos oferecer, quem sabe se aqui estão ou não, ninguém. Mas a alma será sempre divina quando não é demasiado pequena para aceitar o que o mundo tem para nos dar.

Sem comentários: