sexta-feira, 8 de agosto de 2008

SONHOS

Fecho meus olhos e toco meu rosto, sinto a minha tez como se alguém a estivesse a tocar. No escuro, por baixo das minhas pálpebras sinto a vibração do exterior. Vejo o que sinto, e fixo-me no espaço e no tempo, para perceber aquele ritmo que me percorre. Parecem ondas de um mar distante, filhas de um oceano pacífico... fonte de inspiração. Cruzo minhas pernas e fixo-me ali, a sentir a calma, a imaginar a cidade que vive por cima de nós. Um mundo de sonhos, perto do céu. Onde todos nós temos um canto e o percorremos. Partimos e conserta-mos, corremos e paramos, vivemos e saboreamos todos os momentos que aí existem para saborear. Um mundo de sonhos, onde amar faz sentido e onde errar não é pecado. Lá todos sabem que todos erram, e que todos merecem perdão. Sonhos que começam quando fecho meus olhos, e tu vives. Sonhos que acabam quando acordo e eu vivo. Sonhar também é uma forma de viver e por vezes mostra-nos as intempéries e os sorrisos que aí vêm. Sorrir não é pecado! Então sonho amar de olhos abertos e sorrir dos erros que o futuro me reserve. Pois uma certeza eu tenho, todos nós erraremos nesta vida muitas vezes mais do que aquelas que alguma vez amaremos.

Sem comentários: