domingo, 21 de setembro de 2008

MERGULHAR NA VIDA

Hoje o dia nasceu com uma sombra sobre si. Tímido, encobriu-se de nuvens, cerrou seus olhos e fechou-se na manhã cinzenta. Curtas lágrimas caíram sobre nós, também elas tímidas. Acordei a olhar para ele e sem querer acreditar que ele apenas teria aquilo para nos oferecer, corri para a vida. Percorri o que os minutos me ofereciam, deixava os gestos ao acaso e fui até à praia ouvir a calma melodia que as ondas nos sabem oferecer. Olhei para o céu vezes sem conta... e a sua timidez jamais desaparecia. Mas a vontade do sol era cada vez mais forte, bafejando-nos com seu calor, rapidamente secou todo aquele tecto cinzento que nos cobria e mostrou o mais belo dos sorrisos. Não deu para muito, pois a tarde já se fazia sentir curta. Mas deu ainda para me sentir abraçado pela força das ondas que de já não sentirem o calor de tanta gente, fazem-se frias a quem se oferece nos seus braços. Os dias começam a se fazer sentir curtos mas terão sempre a vida e o tempo que queiramos dar e viver. Agora deito-me sobre o mesmo dia que cerra seus olhos e se deita sobre o manto azul-escuro que cobre os céus. Será o amanhã igualmente cinzento? Chorará o céu para nós? Nada sei... apenas vivo o que este momento me dá. E será sempre esse momento que jamais me perdoará se o deixar passar por mim sem olhar por ele.

Sem comentários: