quarta-feira, 24 de setembro de 2008

MEU ESPAÇO

Estáticos movimentos rodeiam meu espaço
Olham-me com mil olhos e tomam-me em seu regaço
Guardam-me num canto para não me partir
Acolhem-me quando chego, libertam-me no sair
Confortam-me quando o cansaço já me toma
Exortam-me com suas cores e formas
Dão-se a mim como se de uma tela se tratasse
Pinto os espaços com as cores que a alma me dá
Sem segredos nem temores exponho o que pintei
Uma enorme tela em branco, pois nada vejo... nada sei.

Sem comentários: