domingo, 28 de setembro de 2008

SEM SER CONVIDADO

Sem ser convidado entrei,
Sem ser avistado percorri,
Sem tocar no passado guardei,
O que sem te pedir vivi.
Vivi teu toque suave como seda,
Sobre um aroma de cumplicidade,
Sem ser convidado beijei,
Os teus lábios finos de verdade.
Guardei teu beijo na minha boca,
Com seu sabor profundo e doce,
Sem ser convidado abraçei,
O que o momento me trouxe.
Não digo nunca ao futuro,
Ao que sinto e ao que vejo,
Sem ser convidado transporto
O melhor que viveu e vive em nós
O toque doce de um beijo.

Sem comentários: