terça-feira, 30 de setembro de 2008

SOPRO FRIO

Azul o tecto que nos acolhe,
Sobre um mar imenso de luz,
Nublado pela manhã como que ensonado,
Sorridente pela tarde como que nos seduz.
Estende-se o dia na palma da nossa mão,
Agarra-se a noite com sonhos e ilusão.
Sobre um sopro frio que nos faz pensar,
Na imensidão das estrelas no brilho do luar.

Sem comentários: