terça-feira, 16 de setembro de 2008

TOQUE DO ANJO

Abro as asas que cobrem minhas costas
Para ao mundo exibir todo o seu explendor
Viro o rosto como que olhando para trás
E quem vejo eu? O mundo em meu redor
Sinto todos aqueles olhares sobre mim
Reservado cubro minha tímidez
Para quem se exibia sem pudor
Acreditei que tinha chegado a minha vez
Fecho meu olhar e olho para baixo
Como que pregado no chão
Mas em baixo nada vivia, nada morava
Olhei então para ti e toquei teu rosto
Ganhaste vida em minha mão.

Sem comentários: