quarta-feira, 12 de novembro de 2008

CRIANÇA

Debruçado sobre a janela, olho as pessoas a passarem em passo apressado, para mais um dia agitado. Cheio de turbilhões, que de tantas confusões e outras tantas questões, quase que se pode dizer que vai acabar cansado. A agitação lá fora é uma azáfama sem fim e os carros fazem um frenesim. Encolho meus ombros e fecho a janela, tomo o meu leite, beijo minha mãe, pego na sacola e salto para o mundo agitado, que para mim criança, até parece pecado. Vou para o meu mundo que de tão pequeno que ainda é, todos me chamam de "garnisé". Termo engraçado para fraca figura, que sorridente distribui amizade, sem excluir ninguém, preservando a igualdade daqueles que são meus irmãos de brincadeiras.

2 comentários:

Anónimo disse...

É para ler em voz alta, com sotaque brasileiro?

Master Of The Wind disse...

Não. Para sussurrar no meu ouvido de criança.