quinta-feira, 6 de novembro de 2008

NUNCA

Nunca ninguém ouviu o que tinha para dizer.
Nunca ninguém sentiu o que existia para viver.
Nunca ninguém perguntou o que se iria passar,
O que sempre se viu o que nunca teve lugar.
Pergunto-me por vezes onde estou e o que aqui faço,
Mas estou aqui para viver e saborear o abraço.
Procuro na vida encontrar tudo o que faça sentido,
Mas neste puzzle que monto nem sempre tenho abrigo.
Por isso caminho e encontro o que nunca pensei,
A razão de existir sobre o valor que sempre amei.

Sem comentários: