segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

BARALHO AS PALAVRAS

Misturo e distribuo como se de cartas se tratassem. Recolho-as de cima da mesa. Organizo-as por ordem alfabética tentando lhes dar um sentido. Não que depois as possa ler em frases, mas pelo menos posso levá-las comigo e atribuir-lhes imagens. Posso trocá-las por gestos ou por olhares, posso-te oferecer a tua, posso-te dar um pouco da minha. Podemos criar uma nossa e quem sabe no meio de tantas encontrar uma que dê sentido à vida que te dou... aquela que tu me dás.

Sem comentários: