sábado, 17 de janeiro de 2009

TANGO

Sentimos o calor dos nossos corpos em quente dança,
Trocamos olhares sedutores abraçados sem pudores,
Sentimos o suor em nosso rosto e nossa respiração acelera,
Ao ritmo da música ao bater de pautada atmosfera.
Conquistamos a pista e o espaço torna-se só nosso,
Estamos sozinhos sob ténue luz que nos observa,
Vermelho é o tom que domina o ambiente,
Nossos rostos tocam-se em sinal de cumplicidade,
Em dança que nos envolve em momentos de divindade.

2 comentários:

espalha brasas disse...

Sem esquecer a rosa na boca.

Master Of The Wind disse...

Vermelha...