domingo, 18 de janeiro de 2009

Desaustinada corrente que leva esta vida,
Arrasta de seus leitos sua vivência perdida,
Transporta no peito o que o tempo lhe deu,
Oferece-se ao mar como o tempo em tempos se me ofereceu.
Seu olhar reflecte como um espelho,
Vejo-me em sua bamboleante maré,
Fixo meus olhos nos seus conselhos,
Na desaustinada corrente de sua fé.

3 comentários:

espalha brasas disse...

Bamboleante?? Bambolero, Bambolera!!! Estás a ver qual é a música?

Master Of The Wind disse...

Sim... mas danças?

espalha brasas disse...

Não.