segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

TEU ROSTO

Tapas teu rosto para não te ver,
Como se eu conseguisse não te olhar,
Vejo entre teus dedos o teu sorriso,
Reparo em teu peito no teu respirar.
Finos olhos os que cobres com tuas mãos,
Olhar profundo espelho da tua alma,
Sincero e doce como mel,
Aquele que um dia vi e jamais esqueci,
Num céu de estrelas em noite calma.