quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

CHÁ

Baladas incessantes transportam-nos pela noite dentro. Pequenas velas iluminam teu rosto. Pouco quero ver. Teus olhos, tua boca... tuas mãos, não mais. Nossos corpos quentes libertam-se de suas almas já ausentes e envolvem-se como chá quente em noite fria. Bebemos deles o mais possível e deixamos que o calor nos percorra por dentro, pois o que os meus olhos vêem já ninguém me rouba. A noite já vai longa mas tudo o que tenho para te dizer, sentir e olhar por ela voa, por ela se prolonga.

3 comentários:

Anónimo disse...

XÁ - NAX

Tóne

Anónimo disse...

XA - XA - DA

Master Of The Wind disse...

Adoro os meus comentadores residentes ;-)