sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

SEM LEI

Crescem as expectativas perante um horizonte reluzente,
Acolhe-se nos braços a criança com o carinho de quem a embala,
Soprasse as esperanças como vento que embala a gente,
Grita o que mente... como quem mata o dia à lei da bala.

1 comentário:

Anónimo disse...

A culpa é da Crise!

Tóne