terça-feira, 17 de março de 2009

AURORA

Fazia-se ouvir lá fora o som resplandecente da aurora,
Nada se fazia prever nem se previa que nada pudesse acontecer,
Nascer de manhã calma, cor de paz em paz de alma.
Ergo meus braços para o céu em prolongado espreguiçar,
Enquanto lá fora já ouço a pequena Ísis miar.
Faz-se dia em serena harmonia de vida penetrante,
Sem se saber o futuro presente do minuto cessante.

Sem comentários: